sexta-feira, 13 de abril de 2012

Ano novo de novo

Eu já falei para o Leandro que ele dá zica. Todo ano dá alguma merda. De 2009 para 2010, fomos para Ubatuba, estava chovendo, alagado e com uma russa doida. De 2010 para 2011, fomos pra Salvador numa praia estranha, gente estranha e um som horrível.

Esse último final de ano, fomos para casa do pai do Leandro no Guarujá e encontramos o Fabio por lá. Na virada, não estava muito lotado, não estava muito quente... Na verdade, estava chovendo e meio vazio de pessoas beneficiadas com todos os dentes, cabelo bom e nome fácil.

Já estava chovendo quando saímos de casa e eu usava um modelito bêbado 2012: bermuda, sem camiseta, chinelo, com 20 reais numa carteira de papel alumínio improvisada, duas cervejas e usava sunga para eventos aquáticos além das sete ondinhas que nunca dão sorte.

Fomos para a orla e começamos a andar para achar movimento, pessoas, uma música. Andamos muito. Parecia que procurávamos a terra prometida com fogos de artifício e pessoas razoáveis. Atravessamos duas praias. Se fosse de manhã e com sol, eu me sentiria um velhinho simpático fazendo minha caminhada, mas estava chovendo e à noite.

Eu estava numa condição diferente em que não estava procurando ninguém, mas queria fazer alguma zoeira. Eu queria ficar bêbado socialmente relaxado e os outros dois que me segurem. Mesmo que eu estivesse procurando alguma sarna pra me coçar, eu ficaria na mesma condição: sozinho. Minha habilidade com a mulherada não é lá essas coisas e ainda com a zica do Leandro e o Fabio breaco. Vixe! 0x0 com certeza!
(Observação da zica do Leandro: Juntos, nunca pegamos mulher)



Mas estamos lá... depois de atravessar 2 praias andando, achamos uma muvuca antes de estourar a champanhe, "3, 2, 1... Aêeeee"... Alegria, bons pensamentos, 7 ondinhas... Ahhh! Que beleza! Cumprimentar os amigos...

- Feliz Ano novo, Narigudo! Cadê o Sassai?

Olhei para o lado e vi um trecho do UFC na praia. O Fabio sendo atacado por uma... mulher? Eita! Calma... Não está atacando ele... eles estão se beijando... a situação era feia! A SITUAÇÃO era feia. A mulher não era feia.

Para aquela mulher ser considerada feia, ela precisava de uma reforma. Provavelmente, ela trabalha nas Noites do Terror do Playcenter, mas a maquiagem dela é só um batonzinho. Além de quase-feia, ela era grande. Acho que o Censo contava ela duas vezes. Ela tinha dois CEP's só pra ela,

- Fabio... véi... eu tinha uma admiração por achar que você só mandava bem, mas agora você perdeu os créditos.
- Ah, mano... acontece...

Mas é normal. Às vezes homem come filé, e às vezes ele raspa a panela. No caso dele, ele comeu a própria panela. O Leandro já estáva tomando um sal de frutas, porque a cena foi forte. Mas continuamos nossa caminhada. E encontramos outra muvuca.

O Fábio estava se socializando demais. Mexendo com a meninada... Que beleza! Eu nem consegui ficar bêbado e o Leandro estava na caça com o Fábio. Mas como a zica é permanente, nunca dá certo da gente ter sucesso juntos.

A virada foi até engraçada, mas, na volta, eu virei babá de bêbado. Lá vai o Fábio mexendo com todo mundo, falando várias merdas e eu quase empurrando ele para ir logo. Sem contar umas 2 vezes que evitei dele dar uma apalpada na bunda alheia. Vai saber! Essas coisas dão merda! Já pensou tomar porrada no ano novo? Andei 2 praias inteiras cuidando de um bêbado, e eu é quem deveria ficar assim. Ôôô, Canário!





Nenhum comentário:

Postar um comentário