domingo, 4 de março de 2012

Criminoso na balada


Ultimamente eu estou meio velho pra balada. Aaaaah... beber, dançar... pooooatz! Quando se começa a reclamar de tudo, é porquê não se está afim. Até aí, fico em casa, no máximo um barzinho e fico tranquilo. Mas eu estava enrolado com a Karina que gosta de balada. "Ai... quero sair pra dançar"... Lá vou eu fazer companhia.

Ela vai com as amigas, eu vou ficar perdido... Ih! já vi tudo. Vou chamar um amigo para ir , né? E para chamar um brother, eu uso um vocabulário de brother:  "Então... aí... hoje vou na baladinha com uma minazinha e as amigas dela. As minas são feias, mas tem uma que é da hora".

Realmente tinha uma lindíssima, mas se não tivesse, eu daria uma de louco: "Ae... as minas não são lindas, mas iria fácil". Na verdade, eu não iria nem fazendo o sinal da cruz naquelas amigas da Karina, mas não vou desmotivar ninguém. Chamei o Thiaguinho que não precisa de tanto incentivo assim. É só dizer que vai ter cerveja e ele se vira. E se vira mesmo. Desde quando o conheço, ele sempre tá acompanhado, e muito bem.

Ele topou e encontramos as "minazinhas" na frente da balada. Eu bebendo como amador e ele como profissional, pegamos a fila e entramos. Baladinha normal, pessoas mais ou menos bonitas e um bar. O que fazer? Vou fingir que sei dançar até eu ficar bêbado. Quando eu ficar bêbado, aí danço qualquer coisa. Vou chamar o Thiag... Ih! Cadê?