sábado, 25 de junho de 2011

¡Olé, Canário! - Alugando carro

No terceiro dia em Madrid, estava programado para alugar carro e viajar para Toledo, Valência e Barcelona.  Acordar cedo, ir ao aeroporto e pegar a estrada o mais rápido possível. Claro, era só um plano.

Cheguei por volta das 9h30 e com o voucher na mão. Mas o que estava no papel era só a confirmação do carro da empresa intermediária Meu(estilo decolar.com) e o número da reserva. Com isso, seria mais do que suficiente. Só tinha um problema: não tinha nome da companhia.  Mesmo assim não seria um grande problema, pois só tinham umas 5 companhias.

Beleza! Passei em todas as companhias. Só um carinha da Hetz que não atendeu direito. Mas o resto atendeu bem mesmo fazendo um serviço chato de busca.  Mas... e agora? Ninguém reconheceu a minha reserva e não tinham mais companhias.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

¡Olé,Canário! - Indo pra lál

Na ida pra Espanha, uma escala no Chile e ainda esperar 3 horas pra pegar ooooutro voo (voo promocional,  né?). Mas dá pra olhar as lojas, tirar foto e praticar o espanhol na versão criada por brasileiros e difundida pelo Luxemburgo ("lo trabajo").

A língua é diferente mesmo, mas é tranquilo pra entender.  E hablar?  Ainda bem que estava longe. As gafes que cometi ficaram em terras estrangeiras. Nem saberia dizer toda a vergonha que passei, pois só tinha certeza que era gafe quando a outra pessoa falava "¿como?" e me olhava com cara de tonto latino.

Eu estava empolgado com a viagem, mas queria aproveitar pra trocar umas moedinhas de dólar que eu tinha. Entre moedas de 25, 10, 5 e 1 cents de dólar, juntei 10 dólares. Passei meia hora contando moedinha na mesa da lanchonete. Parecia que eu estava contando as moedinhas do Tio Patinhas. Mas contei tudo e fui pagar. Eles não aceitam moedas de dólar. Andei aquele aeroporto inteiro e ninguém aceitou meu dinheirinho.

Eu andando com uma sacola cheia de moedas pelo aeroporto, não foi algo agradável.  E até meio constrangedor.  "O que estão pensando de mim?", "Essas pessoas estão olhando meio torto", "Será que estão pensando que assaltei uma igreja com dizimo em dólar?"

Orra! Uma igreja diferente, bilingüe e dizimo em dólar. Quem seria o padre? Jô Soares? Seria interessante ele fazer a missa no formato de talk show. O sexteto tocando música de igreja, e o Jô entrevistado alguém interessante como uns anjos.

"Hoje,  vamos entrevistar o anjo da guarda que se destacou fazendo seu serviço com roupas ousadas. Pode vir, Gaibriel!"

[aplausos da platéia]

Jô: essa roupa não te aperta?
Gaibriel: é fashion, isso que importa. Seu gordo mal vestido!

Acabaria com o Jô saudando "uma benção do Gordo! Smack!"

É... Nem rezando alguém aceitou minhas moedas. Ou então não aceitaram de sacanagem. "Ih, é brasileiro?  Hum...". Muitos brasileiros se acham quando saem do Brasil, mas o fato é que ninguém dá moral pra um tupiniquim. Só na hora de jogar futebol. É como achar que todos japoneses são inteligentes,  todos os negros sabem sambar, ou todo corintiano tem mais de 2 passagens na polícia.

O jeito é ir viajar com as moedas mesmo e achar que todo espanhol dança flamenco ou é toureiro.
¡Olé, Canário!

terça-feira, 14 de junho de 2011

Terminar é fácil

Você terminou por telefone? Parabéns! Você foi sensato e prático, mesmo sabendo que a outra pessoa agora quer cortar seu pescoço, porque ela acha que faltou consideração da sua parte. Mas o que ela queria? Ela esperava que você convidasse para um jantar romântico, ela se produzisse como um pavão indo ao baile pra tomar um pé na bunda? Jamais! Por telefone, ela toma um chute bem dado e continua de pijama para chorar na cama.

Uma vez comecei a "ficar" com uma senhorita linda, mas eu não soube levar a situação e fiz merda. Mais ou menos como aquele craque que é convocado pra seleção, chega lá e acaba estragando o time. Coisa de gente jovem. Ninguém nasce sabendo, mas todo mundo já sabe cagar.

Certo dia, ela me chamou para passar na casa dela e fazer alguma coisa. Lá vou eu tomar banho, passar perfume, arrumar o cabelo e fazer a barba... Homem não tem muita produção (exceto em casos de metrossexuais e gente muito feia), mas fazer a barba não é nada divertido. É um saco passar espuma, ficar raspando alguma coisa cortante na sua pele, deixar umas marcas da lâmina, duelar com espinhas e pelos encravados, fazer caretas no espelho e sempre achar que ficou um lixo e falar pra si: "Vai ser assim mesmo. Se ela não gostar, falo que o cara da novela fez igual".

Pronto! Estou arrumado. Lá vou eu viajar e rodar uns quilômetros. Quem dera eu ter sorte de encontrar com alguém que more perto. Só arrumo gente que mora longe. Essa nem era tão longe, mas já iriam uns 8 km brincando. Sempre deixo pra passar perfume chegando no lugar, porque acho que o tempo até chegar, já me fez ficar sem cheiro.

Cheguei lá. Ansioso, cheiroso e sem pelos na cara. Ela diz:
- Ai, Vi, queria te contar uma coisa: acho melhor a gente parar por aqui. E blablablabla... Mas quero ser sua amiga, você é muito gente boa.... blablablabla.
- Ah, beleza!

Puto da vida, parecendo um palhaço de topete e gel, pensei e desabafei:
- Bom... agora que somos amigos, acho que posso falar isso: Vai tomar no c*! Você me fez atravessar a merda da cidade pra me falar isso? Por que não falou por telefone?

Ôôô, Canário!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Sobrinho nota 10 (Pior que é verdade)

- Marquinhos, vai sentar e estudar português. E escreve 10 palavras com X e 10 com CH
- Está bem.

2 minuto depooooois, ele grita:
- É só palavra em português ou pode palavra em inglês?
- Marquinhos... (tempo para respirar) ... a matéria é português ou inglês?
- Português.
- Então...

Minutos depois ele veio.
- Vamos ver. Palavras com CH: Chácara, chaveiro, chá, charuto, Chumaquer... CHUMAQUER?

-----
Outra

- Vinícius, aproveita que está na cozinha, e corta uma pêra pro Marquinhos.
Cortei na metade, fui tirar o cabinho e as sementes, e o Marquinhos fala:
- Que bom que você tá tirando isso (semente e cabinho), não gosto de comer.
- Marquinhos, você come a semente?
- Como. A tia da escola corta e não tira a semente.


Ôôô, Canárinho!