terça-feira, 12 de abril de 2011

SAP - Serviço de Atendimento ao Paulista

Já não acho que paulista seja estressado. Olhe três casos de como nos comportamos bem com o atendimento de alto nível da Bahia.

Caso #1:

O Queijo no mercado.
Leandro todo serelepe pimpão chegou para a moça do balcão da sessão de frios do Supermercado e pediu:
- Você vê 300 gramas de mussarela, por favor?
- Já está cortado. Pode pegar. - Apontando para a bancada atrás dela.
Leandro ficou com raiva e teve que ficar quieto, porque a atendente era 3 vezes maior do que ele.


Caso #2

O troco
> Carlinha pagou suas compras do mercado com um nota, pois não tinha trocado.
> A mocinha do caixa cobrou o valor e deu o troco: 5 moedas de 5 centavos = 25 centavos.
> Carlinha perguntou se ela não teria uma moeda maior.
> A atendente contou de novo as moedas, pegou a mão dela e, com a delicadeza de um pedreiro, colocou as moedas na mão de Carlinha e disse que o troco estava certo.
> Carlinha foi embora assustada, pois a mocinha do caixa botava medo de tão feia que era.


Caso #3

Os tipos de suco
Flávia e eu estávamos sem fazer nada e fomos a um barzinho para tomar um suco. Lá na Bahia tem uns suquinhos diferentes e eu estava afim de experimentar um suco de alguma fruta de nome estranho. Sentamos e perguntei ao garçom:
- Qual suco diferente você tem?
- Você é que vai me dizer. Aqui temos de tudo.

Fiquei espantado. Uau! Eles devem ter todos os tipos de frutas. Pedi o cardápio, e a Flávia sugeriu um suco estranho XYZ. Chamei o garçom e pedi:
- Por favor, você traz esse suco XYZ?
- Esse eu não tenho.
- Ué? Mas você não disse que vocês tem de tudo?
- É que eu sou novo aqui e não sei de tudo que tem.


Atendimento é a chave do negócio baiano. Ôôô, Canário!

Nenhum comentário:

Postar um comentário