segunda-feira, 11 de abril de 2011

Mira errada

Chegamos na Bahia e ficamos um pouco desapontados. Leandro e eu achamos que em Salvador só tem Ivete Sangalo andando pra lá e pra cá. Mas não é bem assim, né? Se passaram uns dias e não tivemos nenhum sucesso.

Não tinha nenhuma grande motivação para sair do zero à zero. Além da cidade estar meio vazia, teria que aparecer alguma coisa muito boa, e teria que vir em dupla pra dar uma graça e não abandonar o parceiro da guerra. Mas as chances eram bem pequenas. Aproveitamos para conhecer as praias, os lugares e tudo mais.

Fomos para a Praia do Forte e o cenário mudou um pouco: continuava ruim, mas com alguma esperança. Andando pra lá e pra cá, olhamos 2 coisinhas no mar. Entramos na água e conhecemos. Não era lá essas coisas, mas eram aceitáveis. O Leandro foi na frente e foi escolhendo a "melhorzinha".  Conversa vai, vai, vai... e saímos da água:

- Vocês vão pra onde? - perguntei.
- Vamos por ali.
- Então, vamos pra lá.... - falou o Leandro já andando. Achei estranho, mas eu olhei pro Leandro e ele balançou a cabeça dizendo "não". Entendi o recado e olhei para as 2 coisinhas.

Aquela estava conversando comigo era muito além do que eu esperava. OK!. Mas a outra... Ela enganou muito bem. Na água, a coisinha estava de óculos escuros e coberta até o pescoço. Fora da água, ela parecia um caranguejo: corpo redondo e olhar meio estranho. Mas era útil: ela olhava para o céu e procurava concha ao mesmo tempo.

Não deu. Desanimamos mais ainda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário