quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Show da Coca-cola.

Ela falou "Vai ter um show. Vamos?" e começou. Longe pra Canário. Eu acho que era perto do terminal João Dias. E pra quem mora na Zona Norte, é quase na outra beira da cidade. Meus pais me levaram e me buscaram. Ainda bem!
Cheguei lá, encontrei a minha namoradinha e entramos. Era um festival com vários shows. Inclusive do Charlie Brown Jr. Sensacional. E olha que nunca fui fã de show, mas esse é bom.
Vimos o show? Claro que não. Vou entrar no tumulto com um monte de gente e mais uma namorada com a bunda grande? A minha bunda estaria em perigo, imagine a dela. Pensei nisso quando vi o povo pulando e se divertindo. Ficamos de longe e aproveitamos o eco da música. Muito romântico.
Tinha uma barraca vendendo cerveja. Tínhamos 16 anos e beber cerveja era ser adulto. Eu estava aprendendo a arte do álcool e já sabia que comida é a base da bebida. Ela resolveu beber. Ainda falei “Ó, você vai passal mal. Você não comeu nada e vai passal mal”. Gente mais teimosa do que eu, merece prêmio. Passou mal. Tive minha primeira experiência de babá. “Ai, Vi, tô mole”. Adiantaria falar “Eu te falei”?
Mas tudo bem. Não estava gostando mesmo do show de longe, e tempo passou rápido. Fui embora sem vômitos e sem danos traseiros.

Um comentário: